quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

A parábola das bodas - Mateus 22

Nessa parábola Jesus  mostra como é o Reino de Deus.Um rei que celebrava o casamento de seu filho enviou servos para convidar a quem pudesse achar, a festa era aberta a todos mas aqueles a quem os servos chamou recusaram a ir dizendo estar muito ocupados com seus afazeres.
Assim é o Reino doa Céus, o convite está aberto a todos e todos são convidados a participarem das bodas do Reis que é Jesus, mas as pessoas estão muito ocupadas com seu trabalho, sua casa, sua família, seu carro, seu namorado(a), com a faculdade...com suas necessidades diárias e não tem tempo para participarem das bodas ou seja, não tem tempo para ir a igreja buscar ao Senhor ou aceitar seu convite em aceitá-lo com Salvador de suas vidas.
Qualquer um pode recusar a oferta, Deus quer que todos se recuperem e se salvem mais todo o homem tem o direito de escolha.Se escolhermos não participar das bodas sofreremos por causa da nossa decisão, mais se escolhermos participar desfrutaremos de tudo aquilo que o Rei tem para nos oferecer.
   E você? Já fez a sua escolha?

Lana Abade

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

FESTA DAS LUZES !



candelabro
Chanucá ou Hanucá (חנכה ḥănukkāh ou חנוכה ḥănūkkāh) é uma festa judaica, também conhecido como o Festival das luzes. “Chanucá é uma palavra hebraica que significa “dedicação” ou “inauguração”. A primeira noite de Chanucá começa após o pôr-do-sol do 24º dia do mês judaico deKislev e a festa é comemorada por oito dias. Uma vez que na tradição judaica o dia do calendário começa no pôr-do-sol, o Chanucá começa no 25º dia.
Por volta do ano de 200 a.C. os judeus viviam como um povo autônomo na terra de Israel, a qual, nessa época, era controlada pelo rei selêucida da Síria. O povo judeu pagava impostos à Síria e aceitava a autoridade dos selêucidas, sendo, em troca, livre para seguir sua própria fé e manter seu modo de vida.
Em 180 a.C. Antíoco IV Epifanes ascendeu ao trono selêucida. Braço remanescente do império grego, encontrou barreiras para sua dominação completa sobre o povo judeu, e o modo mais prático para resolver isso era dominar de vez a região de Israel (mais precisamente a Judéia, ao sul) impondo de maneira firme a cultura da Grécia sobre os judeus, eliminado, assim, aquilo que os unificava em qualquer lugar que estivessem: a Torá. O rei Antíoco ordenou que todos aqueles que estavam sob seu domínio (em específico Israel) abandonassem sua religião e seus costumes. No caso dos judeus, isso não funcionou, ao menos em parte. Muitos judeus, principalmente os mais ricos, aderiram ao helenismo (cultura grega) e ficaram odiados e conhecidos pelos judeus mais pobres como “helenizantes”, uma vez que ficavam tentando fazer a cabeça do resto dos judeus para também seguirem a cultura grega. Antíoco queria transformar Jerusalém em uma “pólis” (cidade) grega, e conseguiu.
Em 167 a.C., após acabar com uma revolta dos judeus de Jerusalém, Antíoco ordenou a construção de um altar para Zeus erguido no Templo, fazendo sacrifícios de animais imundos (não kasher) sobre o altar, e proibiu a Torá de ser lida e praticada, sendo morto todo aquele que descumprisse tal ordem.
Na cidade de Modim (sul de Jerusalém), tem início uma ofensiva contra contra os greco-sírios, liderada por Matatias (Matitiahu) (um sacerdote judeu de família dos Hasmoneus) e seus cinco filhos João, Simão, Eliézer, Jonatas e Judas (Yehudá). Após a morte de Matatias, Yehudá toma à frente da batalha, com um pequeno exército formando em sua maioria por camponeses. Mesmo assim, os judeus lograram vencer o forte exército de Antíoco no ano 164 a.C, e libertaram Jerusalém, purificando o Templo Sagrado. Judas acabou conhecido como Judas Macabeu (Judas, o Martelo).
O festival de Chanucá foi instituído por Judas Macabeu e seus irmãos para celebrar esse evento. (Mac. 1 vers. 59). Após terem recuperado Jerusalém e o Templo, Judá ordenou que o Templo fosse limpo, que um novo altar fosse construído no lugar daquele que havia sido profanado e que novos objetos sagrados fossem feitos. Quando o fogo foi devidamente renovado sobre o altar e as lâmpadas dos candelabros foram acesas, a dedicação do altar foi celebrada por oito dias entre sacrifícios e músicas (Mac. 1 vers. 36).
Até aqui, viu-se a vitória do pequenino exército judeu, esse foi o primeiro milagre. O segundo milagre é mais sobrenatural e deu origem à festa de Chanuká. Após a purificação da Cidade Santa e da Casa de Deus, foi constatado que só havia um jarrinho de azeite puro no Templo com o selo intacto do Cohen Gadol (Sumo Sacerdote) para que as luzes da Menorá fossem acesas, e isso duraria apenas um dia, mas milagrosamente durou oito dias, tempo suficiente para que um novo azeite puro fosse produzido e levado ao templo para o seu devido fim conforme manda a Torá (Ex 27:20-21). A Judéia ficou independente até a chegada do domínio romano em 63 a.C. A festa é realizada no dia 25 de Kislev (cai normalmente em dezembro), data onde o Templo foi reedificado. É uma festa marcada pelo clima familiar e pela grande alegria. Encontramos os fragmentos históricos de Chanuká nos livros “apócrifos” (secretos) de I e II Macabeus e também em escritos talmúdicos. Os acontecimentos de Chanuká serviram para preparar o caminho do Messias. O mandamento principal de Chanuká hoje é o acendimento da Chanukia (Menorá – candelabro – de 9 braços). Oito braços são para lembrar o milagre dos oito dias em que a Menorá ficou acesa com azeite que era para ter durado apenas um dia! O outro braço, que é chamado de “shamash” – servente – é um braço auxiliar para o acendimento das outras velas. Segundo a tradição, somente ele (o shamash) pode ser usado para, se for o caso, iluminar a casa ou para outro fim, sendo que as outras velas só podem servir para o cumprimento do mandamento. A cada noite um nova vela é acrescentada até que se completem as nove. Outras tradições como brincar com o “sevivon” (pião) onde em cada lado dele estão escritas as iniciais da frase “nes gadol hayá sham” (um grande milagre aconteceu lá – em Israel) são válidas, e para quem está em Israel a última palavra da frase é “pó” (aqui). Também há o costume de servir alimentos como sonho com geléia (sufganyot) e panquecas de batata (latkes).
Um grande número de historiadores acreditam que a razão pelos oito dias de comemoração foi que o primeiro Chanucá foi de fato uma tardia comemoração do festival de Sucot, a Festa das Cabanas (Mac. x. 6 e i. 9). Durante a guerra os judeus não puderam celebrar Sucot propriamente. Sucot também dura oito dias, e foi uma festa na qual as lâmpadas tiveram um papel fundamental durante o período do Segundo Templo (Suc.v. 2-4). Luzes também eram acesas nos lares e o nome popular do festival era, portanto, segundo Flávio Josefo ([1] Antiguidades judaicas xii. 7, § 7, #323) o “Festival das Luzes” (“E daquela época até aqui nós celebramos esse festival, e o chamamos de Luzes”). Foi notado que os festivais judaicos estavam ligados à colheita das sete frutas bíblicas na qual Israel ficou famoso. Pessach é a comemoração da colheita da cevada, Shavuot do trigo, Sucot dos figos, tamareiras, romãs e uvas, e Chanucá das olivas. A colheita das olivas é em Novembro e o óleo de oliva ficaria pronto para o Chanucá em Dezembro.
O milagre de Chanucá é descrito no Talmud, mas não nos livros dos Macabeus. Esse feriado marca a derrota das forças selêucidas que tentaram proibir Israel de praticar o judaísmo. Judas Macabeu e seus irmãos destruíram forças surpreendentes, e rededicaram o Templo. O festival de oito dias é marcado pelo acendimento de luzes com uma menorá especial, tradicionalmente conhecida entre a maioria dos Sefaradim como chanucá, e entre muitos Sefaradim dos Balcãs e no Hebraico moderno como uma chanukiá.
O Talmud (Shabat 21b) diz que após as forças de ocupação terem sido retiradas do Templo, os Macabeus entraram para derrubar as estátuas pagãs e restaurar o Templo. Eles descobriram que a maioria dos itens ritualísticos havia sido profanada. Eles buscaram óleo de oliva purificado por ritual par acender uma Menorá para rededicar o Templo. Contudo, eles encontraram apenas óleo suficiente para um único dia. Eles acenderam isso, e foram atrás de purificar novo óleo. Milagrosamente, aquela pequena quantidade de óleo queimou ao longo dos oito dias que levou para que houvesse novo óleo pronto. É a razão pela qual os judeus acendem uma vela a cada noite do festival.
No Talmud dois costumes são apresentados. Era comum tanto ter oito lamparinas na primeira noite do festival, e reduzir o número a cada noite sucessiva; ou começar com uma lamparina na primeira noite, aumentando o número até a oitava noite. Os seguidores do Shamai preferiam o costume anterior; os seguidores do Hilel advogavam o segundo (Talmud, tratado Shabat 21b). Josefo acreditava que as luzes eram um símbolo da liberdade obtida pelos judeus no dia em que Chanucá é comemorado.
As fontes talmúdicas (Meg. eodem; Meg. Ta’an. 23; compara as diferentes versões Pes. R. 2) descrevem a origem do festival de oito dias, com seus costumes de iluminar as casas, até o milagre dito ter acontecido na dedicação do Templo purificado. Isso foi que o pequeno vasilhame de óleo puro que os sacerdotes Hasmoneus encontraram intocados quando eles entraram no Templo, tendo estado vedado e escondido. Esse pequeno montante durou por oito dias até que novo óleo pudesse ser preparado para as lamparinas do candelabro sagrado. Uma lenda similar em características, e obviamente mais antigo, é aquele aludido em Mac. 2 1:18 et seq., de acordo com o qual o reacendimento das luzes do fogo do altar por Nehemias foi devido a um milagre que ocorreu no vigésimo quinto dia de Kislev, e no qual parece ter sido dado como a razão para seleção da mesma data para a rededicação do altar por Judas Macabeu.
[editar]Livros dos Macabeus
A história de Chanucá é preservada nos livros de Macabeus 1 e Macabeus 2. Esses livros não são parte da Bíblia Hebraica, mas são parte do material religioso e histórico deuterocanônico da Septuaginta; esse material não foi codificado mais tarde pelos judeus como parte da Bíblia, mas foi codificado pelos católicos e cristãos ortodoxos. Uma outra, provavelmente tardia, fonte é o Megillat Antiokhos — um texto escrito pelos próprios Macabeus por Saadia Gaon, e mais provavelmente escrito por volta do primeiro ou segundo século d.C.
[editar]Celebração
A festa de Chanucá é celebrada durante oito dias, do dia 25 de Kislev ao 2 de Tevet (ou o 3 de Tevet, quando Kislev só tem 29 dias). Durante esta festa se acende uma Chanukiá, ou candelabro de 9 braços (incluindo o central e maior, denominado Shamash, ou servente). Na primeira noite acende-se apenas o braço maior e uma vela, e a cada noite se vai acrescentando uma vela, até que no oitavo dia o candelabro está completamente aceso. Este ritual comemora o milagre do azeite que queimou por oito dias no candelabro do Templo de Jerusalém .
[editar]O Chanucá hoje
[editar]Novas interpretações do Chanucá
Antes do século XX, o Chanucá era um feriado relativamente menor. Contudo, com o crescimento do Natal como o maior feriado no Ocidente e o estabelecimento do estado moderno de Israel, o Chanucá começou a servir crescentemente tanto como celebração da restauração da soberania judaica em Israel e, mais importante, como um feriado para se dar presentes voltado para a família em Dezembro que poderia ser um substituo judaico para o feriado cristão. É importante notar que a substituição pelo Natal não é universalmente aceito, e muitos judeus não tomam parte nesta significação extra naquilo que eles consideram um feriado menor. Crianças judias, primariamente entre os Ashkenazim, também jogam um jogo onde eles giram um pião de quadro faces com letras hebraicas chamado de dreidel (סביבון sevivon em hebraico) .
A Festa das Luzes estará acontecendo na PIB de Salvador, nos dias 4 e 5/12 às 19:00 hs
 

domingo, 21 de novembro de 2010

EXCLUSIVAMENTE VOCÊ!

 

Certo homem vivia numa cidade, exercendo a função de cobrador de impostos. Era rico, por causa da profissão. Enriqueceu de forma desonesta. E, por isso, não era bem visto entre as pessoas.

Você é odiado e rejeitado?  
Era o que acontecia com o cobrador de impostos. Mas apesar dessa situação, era amado e considerado por "alguém". Esse "alguém" o procurava e o conhecia entre centenas e milhares de pessoas. Conhecia-o tão bem que até sabia seu nome, apesar do cobrador nunca ter visto esse " alguém" em sua vida.

Alguém ama e conhece você?
Talvez você também seja odiado e ignorado pelas pessoas. Mas, mesmo assim, podemos lhe afirmar que "alguém" conhece e ama você do fundo do coração. Até sabe seu no me, além de saber tudo que já fez e inclusive conhece seu coração e sabe que está ansioso por  paz e amor.

Sabe como esse "alguém" se chama? Ele se preocupa com você e pode lhe ajudar. Este "alguém" se chama  JESUS CRISTO. Ele está a sua procura e gostaria, agora mesmo, provocar uma mudança em sua vida pela qual você já ansiava muito tempo.
Exclusivamente você! Não interessa os outros. Neste momento, você é atenção exclusiva de Jesus. Quando Jesus passou por Jericó, muitas pessoas queriam vê-lo. E mesmo assim ele diz em Lucas 19.5 "Zaquel desce depressa,pois me convém ficar hoje em tua casa".Estavam centenas de pessoas presentes no local. Mas naquele momento Jesus deu atenção exclusiva a Zaquel. Neste  momento Jesus está dando atenção exclusivamente a você. Ele está lhe chamando por seu nome e precisa entrar em sua vida agora mesmo. O desonesto e perdido Zaquel experimentou a salvação e o perdão de todos os seus pecados.

Você é um salvo?
A atenção está voltada exclusivamente a você. Você vai aceitar Jesus em seu coração confessando seus pecados e sua culpa a Ele? Caso sim, será cumprido o que está escrito em Lucas 19.9
Hoje houve salvação nessa casa".


 Jesus Ama Você sem limites!!!!!
 Você gostaria de aceitar JESUS CRISTO Como seu salvador pessoal?
 Visite uma igreja evangélica.
 Deus te abençoe.

sábado, 20 de novembro de 2010

DESCANSO PARA A ALMA Mateus 11:28-30

Aqui está um convite feito por JESUS, a todos que vivem cansados, sobrecarregados com a vida, com os problemas e está com a alma cansada. Jesus convida: "Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos" e promete: " Encontrareis  descanso para as vossas almas".
Quando a alma se encontra  cansada, vive na angústia , na ansiedade e não consegue sair da prisão provocado pelos problemas, uma alma cansada  não consegue ser apegada ao  Senhor.
Para sua alma ser apegada a Deus, é preciso ser liberta e tratada de todo tipo de prisão, quando a alma não é liberta, é triste, não tem ânimo nem alegria, muitas vezes não tem vontade de viver   e vive murmurando.
Uma alma que vive murmurando perde a visão e não percebe o propósito de Deus para sua vida, deixando assim de fazer a vontade do Senhor.
Jesus quer trocar o seu jugo e o seu fardo pesados, pelos d'Ele que é "suave e leve". O jugo de Jesus  nos une e traz alivio  e descanso aos que estão cansados e oprimidos e aceitam o seu convite "vinde a mim", obterão alívio. O mundo está debaixo  do jugo do pecado e só Jesus pode tirar o fardo do pecado que está sobre o homem.
"Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" Rm 3.23
Todos os homens estavam sob o "jugo" do pecado por serem descendentes de Adão. Mais Jesus veio para libertar o homem do " jugo"  do pecado, pois todos que aceitam por fé o seu convite, recebem poder para serem de novo filhos de Deus pois " a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; aos que crêem no seu nome" ( Jo 1.12).


                  Lana Abade

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

FESTA DE TABERNÁCULOS DA PIB



Festa de Tabernáculos, aconteceu nos dias 27,28,29,30 e 31/10, foram dias de muita adoração e louvor a Deus. O tema foi Jerusalém, um louvor na terra ( Is 62:7 )




Apóstolo Milton e o Pastor e cantor Kleber Lucas 


sexta-feira, 29 de outubro de 2010

OBEDECER SEMPRE










"O  que guardar o mandamento guardará a sua alma; mas o que desprezar os seus caminhos morrerá" Provérbios 19.16

A Bíblia diz que a obediência faz o homem feliz, trazendo segurança e satisfação aquele que obedece mas aquele que despreza, que não dá importância sofre pois a desobediencia traz sofrimento, angústia e aflição para nossas almas. Quando obedecemos ao Senhor ficamos protegidos dessas setas malignas, nossa alma fica longe de dor e sofrimento, nossas emoções ficam controladas por que é isso que acontece quando obedecemos a Deus, o inimigo não nos toca.
Porém a desobediencia mata o homem, não a morte do corpo e sim a morte espiritual trazendo medo,descontrole emocional, falta de paz,  e nos tornamos reféns do diabo por que damos livre acesso a ele em nossas vidas, o Senhor nos ensina a andar em obediência, obedecer é melhor do que sacrificar, precisamos obedecer porque assim segundo a palavra de Deus seremos felizes em nosso caminhar, por que a obediência ao Senhor produz uma vida de felicidade.
Deus nos abençoe.  

     Lana Abade

PONTUAÇÃO E A VIDA


                                                           Extraído do blog do Pastor Nill


Pensando sobre os sinais de pontuação, cheguei a algumas conclusões, não sei se você concorda:

(?)
Temos que aprender a questionar as pessoas e ao Senhor. Não fazer perguntas desnecessárias e não deixar de perguntar o que realmente vale a pena saber.

(!)
Temos que honrar a quem merece e exaltar os feitos dignos de louvor, principalmente aqueles efetuados por Deus. Por outro lado, temos também que evitar perder o controle, a temperança, pois a ira do homem não produz a justiça de Deus.

(,)
Às vezes temos que respirar um pouco, dar um tempo, ao invés de terminar um relacionamento, uma amizade; temos também que saber que muitas vezes as vírgulas são bênçãos de Deus, pois não sinalizam o final de uma história, mas apenas um intervalo. A vitória ainda virá, com a graça do Senhor Jesus Cristo!

(.) Ponto final, uma das coisas mais difíceis de se aprender. Tanto é difícil aceitar o ponto final, quanto ser obrigado a colocar um ponto final. Quando Deus diz: chega, acabou; não há o que fazer, além de aceitar. Quando Deus nos diz para colocarmos um ponto final em algo, seja em um vício, em uma prática pecaminosa, em um plano ou sonho, não há nada a fazer, devemos nos submeter à Sua Santa vontade. Por quê? Porque é a melhor coisa a fazer
.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

ALGUNS NOMES DE DEUS EM HEBRAICO


Caracteres que representam o nome de Deus nas Escrituras em Hebraico

(ABBA) = Paizinho  Mc 14.36
(ELOHIN) = O Criador  Gn 3.3
(EL ELYON) = O Exaltado  Gn 14.18-20
(EL OLAM) = O Eterno Deus Gn 21.33
(SHAPAT) = O Líder que profere sentenças  Gn 18.25
(EL ROI) = O que atende às necessidades  Gn 16.13
(QEDOSH YISRA'EL) = O Deus exclusivo de Israel  Is 1.4
(YHWH) = Senhor  I Sm 1.20
(YHWH Nissi) = Javé que protege  Ex 17.15
(YHWH Rohi) = O Deus que cuida com amor  Sl 23.1
( YHWH Shalom) = Javé é Paz  Jz 6.24
(YHWH Yereh) = Javé provê  Gn 22.14
(YHWH Sabaoth ) = Javé dos Exércitos  I Sm 1.3
( YHWH  Tsidekenu) = O Justo   Jr 23.6
(ADONAI) = O Dono  Sl 2.4
(SHADDAI) = O Deus Todo Poderoso  Rt 1.20

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

SACRIFICOU O PRÓPRIO FILHO


O operador de uma ponte pênsil, sobre a qual passava uma estrada de ferro, e regularmente era elevada para permitir o tráfego de navios, não percebeu seu filho brincando entre as ferragens do mecanismo de descida da mesma. E, naquele momento o trem se aproximava rapidamente, o tempo era curto. Uma única escolha a fazer: Salvar o filho ou centenas de vidas que viajavam naquele comboio. Olhou para o filho que tanto amava, escondeu o rosto cheio de lágrimas, acionou a alavanca, baixou a ponte liberando a passagem do trem. Muitas pessoas acenavam-lhe através das janelinhas cumprimentando-o, ignorando a profunda dor de um oai que sacrificou seu único filho para que todos fossem salvos. No dia seguinte, rádios e jornais noticiavam o fato. Muitas pessoas ficaram consternadas, outras não deram a mínima importância. Lembre-se, você está viajando para o futuro, pensando e agindo, como todas as pessoas. Nada muda: hábitos, costumes e tradições religiosas.
"Não há um justo, nem um sequer" Rm 3.10
Todos esqueceram-se do Criador, aborrecendo-o com seus atos pecaminosos que os levam para o inferno e a separação eterna de Deus.
"Guarda-te, que não te esqueças do Senhor teu Deus" Dt 8.11 e "Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus."Sl 9.17
Deus em seu infinito amor, contemplando o abismo terrível, e o fim da viagem para todos os que não crêem em Deus , enviou seu único filho para morrer em lugar de todo aquele que nele crer. E tudo o que você tem que fazer é crer e aceitar, saindo  deste sistema de vida que o mundo vive sem salvação e sem Deus. " Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."Jo 3.16
"Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos tráz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados" Is 53.5
A exemplo daqueles passageiros, muitos sabem que Deus enviou seu filho JESUS CRISTO para nos dar vida eterna e não dãò a mínima importância  à obra redentora do Calvário.

                                                                                Autor: Pr. Rafael Cabral
                                                                                 

terça-feira, 28 de setembro de 2010

A ORAÇÃO QUE TRANSFORMA

 Deus abriu os olhos espirituais de Daniel e lhe mostrou as realidades do mundo invisível , porque Daniel era um homem de oração se ele não fosse um homem de oração certamente não suportaria passar por tudo que passou. Assim somos nós quando oramos  Deus abre a nossa visão e podemos assim ver o mal que está por trás  de cada problema. O Senhor nos chama para sermos homens e mulheres de oração, precisamos orar mais ,clamar mais, através da oração as barreiras são tiradas de nossa frente, a oração resolve problemas, traz cura , força, ânimo e nos aproxima de Deus.
Daniel era homem como nós, a diferença era que ele tinha uma vida de constante oração por isso ele foi forte nos momentos mais difíceis, quando nós oramos nossas forças são renovadas, nossas petições são respondidas, portas são abertas, quando o crente não tem vida de constante oração ele é fraco, diante das dificuldades perde a serenidade, a calma, se descontrola com facilidade e não tem paz.
Precisamos orar para nos aproximar mais de Deus, a oração traz intimidade com o Senhor e Ele tem buscado filhos e filhas que  buscam constantemente a sua face, homens e mulheres fortes que não se entregam com facilidade quando vem as dificuldades, servos que não tenham vontade própria mais que sua única vontade é servir ao Senhor.
Tem muitos crentes fracos e sem ânimo na igreja porque não ora como deve, não busca a face do Senhor não se entrega não se esforça e vai a igreja frio, desanimado. Como podemos ser vitoriosos se não fazemos nada pra mudar isso ? Sabe como é que um crente fica fraco? Quando ele não ora.
Sempre ouvimos ministrações lindas e edificantes sobre Daniel, mais ele clamava a Deus, ele orava três vezes ao dia, ele tinha intimidade com o Senhor, e o Senhor tem chamado a sua igreja para ter essa intimidade com Ele.
Então amados, vamos buscar mais, orar mais, ler mais a bíblia, jejuar, no trabalho, em casa, na rua andando, onde você estiver na primeira oportunidade, com certeza sua vida não será mais a mesma, você vai experimentar coisas que talvez nunca tenha vivido. Você vai ser forte! Deus não resiste a um filho que ora. O Senhor nos abençõe.
Lana Abade

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

ANDANDO COM O ESPÍRITO SANTO!



Espírito Santo fala ao nosso coração mais é preciso ficarmos atentos ao que o Senhor está falando, precisamos saber ouvir a voz de Deus, e entender o que Ele quer de nós. É preciso que conheçamos a voz do Senhor para que a dúvida não entre em nosso coração.
O Espírito Santo nos sonda para saber como está nosso coração, Ele quer que sejamos como Cristo mais para isso temos que ser totalmente dependentes do Senhor.
Quando o Espírito Santo nos sonda Ele vê o mais profundo do nosso ser tudo o que há. O Espírito Santo nos convence do pecado e nos mostra tudo de mau que há em nós.
O Espírito Santo nos torna novas criaturas, nos ensina e nos leva a viver na cultura do Reino de Deus. Como sei que estou vivendo uma nova cultura?
Que já não sou mais a mesma?
Através de minhas atitudes, hábitos, linguagem...
Quando aceito ao Senhor como Salvador já não vivo mais a cultura do reino das trevas  e sim a cultura do Reino de Deus, no mundo eu me sujeitava ao diabo a cultura do mundo é a mentira, falsidade, adultério, roubo...e uma série de coisas negativas onde somos livres para fazer, o mundo diz que tudo é lícito e pronto e assim serviamos ao reino das trevas.
Mas hoje como cristãos e conhecedores da palavra nós vivemos a cultura do Reino de Deus eu não posso mais me sujeitar ao reino das trevas, se eu mentia hoje eu não posso mais mentir, eu não posso servir a dois reinos eu preciso me sujeitar ao reino que escolhi servir.
Eu não posso dizer que sirvo ao reino de Deus se eu vivo na prática do reino das trevas se eu vivo na mentira, no engano, na fofoca, na maledicência ,falando mal do irmão, na clandestinidade...que reino eu estou servindo? Todo reino tem um rei e nosso Rei é JESUS, todo reino tem regras e as regras do Senhor são leves e não acrescenta dores, nosso Rei é misericordioso; e porque não ser fiel a um Rei que nos ama? A que reino você quer se sujeitar ao reino das trevas ou ao reino de Deus?
Vamos buscar e aprender mais do Senhor, nos derramar mais ao seus pés e clamar para que o reino Dele entre em nossos corações, amados precisamos estar preparados para a vinda do nosso Senhor Jesus. Deus nos abençõe.
Lana Abade

domingo, 5 de setembro de 2010

OLHA PRA MIM SENHOR



O que eu posso fazer para atrair a atenção de Deus? Quantas vezes nos perguntamos isso? A verdade é que nós como filhos de Deus sabemos exatamente o que fazer, então talvez a pergunta não seja exatamente essa e sim: O que eu estou fazendo para chamar a atenção de Deus? Como conhecedores da palavra sabemos que a obediência, a santidade, a fidelidade, a fé agrada e atrai ao Senhor, mais será que eu verdadeiramente estou sendo um servo bom e fiel? Será que estou obedecendo a vontade do Senhor? Será que estou fazendo o que a sua palavra ensina?
Eu preciso pensar muito nessa questão, pois as minhas bençãos depende disso as promessas de Deus pra minha vida depende disso, de ser obediente, de agradar a Deus, de andar segundo a sua vontade.Eu preciso ser santo como meu Pai é santo, eu preciso dizer não pra minha vontade e andar segundo o desejo do coração de Deus, eu preciso ter fé pois ela é a prova de que confio totalmente no meu Deus (Hebreus 11.6) Quando eu confio eu não temo, eu espero com paciência o agir de Deus em minha vida.

Lana Abade